Estátua gigante alada com presas, objeto de veneração e rejeição na Tailândia

Internacional

Uma imensa estátua negra de uma figura alada, com presas douradas e garras vermelhasrevelado este mês numa rua movimentada de Banguecoque, tornou-se objeto de controvérsia na capital da Tailândia.

As autoridades ordenaram uma investigação depois de a instalação do “Kru Kai Kaew”, uma estátua de cinco metros, em frente ao Hotel Bazaar, um estabelecimento de quatro estrelas.

A obra rrepresenta um homem com feições de gárgula, de olhos vermelhos, sentado de pernas cruzadas.

Tailândia, um país de maioria budistaabundam os santuários dedicados a espíritos e divindades, grandes e pequenos. Muitas pessoas rezam-lhes e deixam-lhes oferendas na esperança de que eles intervenham em seu favor.

Mas Kru Kai Kaew é visto com desconfiança. Alguns consideram-no um “deus da fortuna”, mas outros afirmam que é uma figura sacrílega, estranha ao budismo.

Foi inaugurada em 9 de agosto e, desde então, tem vindo a multiplicar-se. os pedidos para a deslocar ou destruir.

“Quando alguém venera algo, essa veneração tem que vir de uma crença budista”, disse o Conselho de Artistas para a Promoção do Budismo na Tailândia, que pediu que a estátua fosse retirada.

“Nem sequer nos podem dizer o que essa estátua representa, não podem simplesmente colocar uma coisa aleatória e venerá-la. Isso não está nas escrituras budistas“, insistiu a instituição.

Segundo o jornal The Nation, os fiéis conservadores denunciaram “rituais “invulgares dos adoradores da estátua, incluindo o sacrifício de animais.

Mas o Bazar Hotel afirma que não a pode retirar, porque foi instalado por alguém que alugou o terreno.

“Trata-se de um acordo contratual e Também há pessoas que vêm rezar, e não apenas pessoas contra. Temos de ouvir os dois lados”, disse à AFP o representante da empresa, Charlie Noppawong.

De facto, nem todos os tailandeses se sentem intimidados. pelos olhos flamejantes da figura.

Napapat Kanyabandit, um vendedor de batidos de fruta de 40 anos, afirma que Kru Kai Kaew trouxe-lhe boa sorte.

Eu vim para o adorar porque ele é muito santo. Quando o conto, fico arrepiado”, disse à AFP. “Pedi-lhe que fizesse com que o meu negócio fosse bem sucedido e resultou”, acrescentou, fazendo uma oferta.

Algumas pessoas afirmam que ganharam a lotaria depois de lhe terem feito oferendasmas outros duvidam.

Temos de ver se, a longo prazo, eles ganharam sempre.“diz Noppamas Artuyeun, de 26 anos, funcionário de um spa.

Violência ameaça eleições no Equador

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *