Carne de cão gera polémica na Coreia do Sul: produtores rejeitam projeto de lei para proibir a sua venda

Internacional

Coreia do Sul é um dos países que consome carne de cãobem como a carne de gato, considerando-a um alimento nutritivo e rico em proteínas. Atribuem-lhe mesmo propriedades medicinais.

Embora seja uma prática secular naquele país, não é legalizada nem explicitamente proibida.mas cada vez mais pessoas querem alcançar este último objetivo.

Recentemente, a campanha contra o consumo de carne de cão recebeu um grande impulso, quando a primeira-dama do país manifestou o seu apoio à proibição. e dois legisladores apresentaram projectos de lei para eliminar o comércio de carne de cão.

“Os estrangeiros pensam que a Coreia do Sul é uma potência cultural. Mas quanto mais a cultura K aumenta a sua posição internacional, mais os estrangeiros ficam chocados com o nosso consumo de carne de cão.“Han Jeoungae, um legislador da oposição que, no mês passado, apresentou um projeto de lei para proibir a indústria da carne de cão, afirmou, segundo o AP.

Agricultores, proprietários de restaurantes e outras pessoas envolvidas no sector opõem-se à aprovação da lei. Além disso, as sondagens mostram que um em cada três sul-coreanos se opõe a essa proibição, apesar de a maioria das pessoas já não comer carne de cão.

Para além da Coreia do Sul, os cães também são consumidos em China, Vietname, Portugal, Coreia do Norte e alguns países africanos, incluindo Gana, Camarões, Congo y Nigéria.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *