Países Baixos instalam distribuidores gratuitos de protetor solar

Internacional

Durante este verão, os residentes e visitantes da Países Baixos poderá contar com dispensadores de protetor solar gratuitos em centenas de locais como praias, festivais, clubes desportivos, escolas e municípios, entre outros, num esforço para combater o aumento da cancro o cancro da pele, que atingiu níveis recorde.

A campanha nacional foi lançada em meados de junho num festival na cidade de Breda e visa garantir que todos tenham acesso a protetor solar sem serem prejudicados por factores económicos ou outros, e incentivar as pessoas a usar protetor solar.

Distribuidores pandémicos reutilizados

No âmbito desta iniciativa, o hospital de Venlo-Venray, não muito longe da fronteira alemã, em conjunto com uma companhia de seguros de saúde e vários municípios, disponibilizou dispensadores de protetor solar em 120 escolas primárias.

O dermatologista do hospital teve a ideia de utilizar os mesmos dispensadores de desinfectantes que tinham sido utilizados durante a pandemia do coronavírus, disse uma porta-voz do centro de saúde à emissora estatal NOS.

“Não somos uma empresa de protectores solares, mas como hospital temos a responsabilidade de partilhar os conhecimentos que temos sobre este assunto”, sublinhou a representante do centro médico.

A ideia dos dispensadores de protetor solar

A empresa Sundo é especializada na instalação de distribuidores de protetor solar nos Países Baixos e na Bélgica. O seu fundador, Ybe Heemskerk, teve a ideia de fazer estes dispositivos com um amigo há dois anos, enquanto tomava banhos de sol.

“O meu pai teve cancro da pele várias vezes, por isso penso que é muito importante prevenir esta doença”, explica Heemskerk.

Cuidado com o aumento das temperaturas

As autoridades neerlandesas consideram que se trata de um investimento a longo prazo para reduzir o número de doentes com cancro da pele devido à exposição solar sem proteção.

“Custa dinheiro, alguns milhares de euros, mas acreditamos que a saúde dos nossos residentes e visitantes é muito importante”, disse à NOS o vereador Jacco Knape, da cidade costeira de Katwijk, no Mar do Norte.

“Vemos pessoas a aproveitar o sol sem proteção, e em Katwijk isso é mais comum do que a média, o que não é bom”, acrescentou.

Com as vagas de calor a alastrarem por vários países europeus, os especialistas apelam à utilização de proteção contra a luz ultravioleta do sol.

O cancro da pele é um dos mais comuns e tem vindo a aumentar em toda a Europa nas últimas décadas. De acordo com o Serviço Federal de Estatística alemão, o número de mortes por cancro da pele entre 2001 e 2021 aumentou 55%.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *