“Não há provas…”: O Tribunal Disciplinar da ANFP castigou Cindy Nahuelcoy e Loreto Toloza com 40 dias sem direção.

Desporto Economia Internacional

O Tribunal Disciplinar da ANFP proferiu na terça-feira uma sentença forte e exemplar. relativamente à queixa apresentada por Cindy Nahuelcoy e Loreto Toloza contra os árbitros Julio Bascuñán e Leslie Vásquez.

Um total de 40 datas sem poder arbitrar nenhum dos jogos oficiais dos campeonatos nacionais deste ano e de 2024, depois de o tribunal ter ratificado que as acusações de Nahuelcoy e Toloza contra Bascuñán, por uma eventual relação sentimental com Vásquez, careciam de veracidade relativamente a alegados favores para que o juiz fosse nomeado para o Campeonato do Mundo de Futebol Feminino e que ambos partilhavam as mesmas nomeações de jogos do torneio local e internacional.

A dura decisão do tribunal da ANFP

É por isso que, tal como indicado na decisão, que foi apoiada por unanimidade pelos juízes do tribunal, ambos os juízes terão de cumprir uma suspensão de 40 jogos, para cada um deles, em “o desempenho de qualquer trabalho de arbitragem no futebol profissional chileno, incluindo as funções de árbitro, árbitro assistente, quarto árbitro, membro do VAR em qualquer das suas denominações e qualquer outra função relacionada”.

“Para o cálculo desta sanção, serão considerados os jogos oficiais do Campeonato da Primeira Divisão de 2023 e 2024, sem prejuízo dos quais, até ao cumprimento das datas de sanção, os árbitros Cindy Nahuelcoy Jara e Loreto Toloza Cravero não poderão exercer as referidas funções de arbitragem em qualquer outra competição organizada pela Associação Nacional de Futebol Profissional (ANFP)”, resume a decisão condenatória, que exclui qualquer responsabilidade por parte dos arguidos Bascuñán e Vásquez.

“O que se passa contigo?”: Cindy Nahuelcoy torna-se viral com a paragem do seu carro a meio de um jogo

Cindy Nahuelcoy recorda com humor os seus primeiros tempos de árbitra: “Não sabia nada sobre fora de jogo”.

“Em todo o caso, e considerando que a acusação feita pelos arguidos contra Julio Bascuñán e Leslie Vásquez é do conhecimento público, importa referir que não existe qualquer prova da veracidade desta possível relação, que os próprios denunciados afirmam não ter qualquer prova e que o processo de inquérito interno da ANFP demonstra que quatro árbitros, mencionados como testemunhas pelos árbitros Toloza e Nahuelcoy na denúncia anónima, afirmaram enfaticamente que nada sabiam e nada tinham visto sobre o que tinham sido consultados”, observou o tribunal.

Outra questão que foi resolvida na decisão judicial foi a transparência da nomeação de Vasquez para treinadora do Campeonato do Mundo de Futebol Feminino.

“Quanto à motivação para as suas acções, Loreto Toloza afirmou que tudo foi planeado por Cindy Nahuelcoy e que participou por solidariedade para com ela, depois de esta lhe ter dito que Julio estava ligado a Leslie e que, por essa razão, Cindy não iria ao Campeonato do Mundo de Futebol Feminino. Por sua vez, Cindy Nahuelcoy declarou e assinou que sabe que fez mal em enviar o correio, que cometeu um erro e que pensou que, ao enviar o correio, não seria prejudicada em futuras designações, mas que, honestamente, não tem provas. Acrescentou na ocasião que trabalhou arduamente durante quatro anos para ir ao Campeonato do Mundo e que Leslie, jogando sujo, conseguiu ser nomeada”, concluiu o tribunal.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *